História

     A Banda de Música de Azaruja, hoje Banda Filarmónica do Grupo União e Recreio Azarujense, pelos documentos existentes nos seus arquivos, foi fundada a 3 de julho de 1904, presumindo-se ser o seu primeiro maestro o Sr. Aboim, militar da Banda da GNR. Ao longo da sua atividade nunca teve uma sede e, por falta desta os ensaios realizavam-se em casas particulares. As suas atuações em público eram feitas em traje civil em virtude da mesma não possuir qualquer tipo de fardamento.
    Embora o Grupo União e Recreio Azarujense (G.U.R.A) só tenha sido fundado a 8 de outubro de 1929, resultou este, da fusão de dois grupos recreativos então existentes em Azaruja: o Clube Azarujense e o Grupo de Instrução e Recreio Azarujense, sendo o seu principal objetivo reorganizar a filarmónica já existente em Azaruja, o que fez ainda em 1927.
    Após a sua fundação o G.U.R.A, tem-se dedicado essencialmente ao teatro amador e à música.
    Ao longo da sua vida, várias foram as fases porque passou, tendo sofrido algumas interrupções, sendo a primeira em 1917, e mais tarde nos finais dos anos 50 do século XX. Embora a banda interrompesse a sua atividade, a música nunca deixou de estar ativa. Os músicos tocavam nas sociedades existentes em Azaruja, e que hoje ainda existem: Grupo Musical Azarujense “Os Unidos”, por alcunha “O Mainó” e, o Grupo União e Recreio Azarujense, tendo como alcunha “O Bonó”. Estes músicos tocavam também em conjuntos e grupos que animavam os bailes ali realizados, assim como em teatros de revista levados a efeito no Grupo União e Recreio Azarujense.
    E assim, respeitando e mantendo as vontades e as tradições de Azaruja, ela teve a sua última reorganização em 1980, sendo o seu maestro o Sr. António Sardinha e, data a partir da qual tem mantido a sua atividade, rejuvenescendo e aumentando o seu efetivo, como também foram integrados elementos do sexo feminino. O efetivo da banda conta neste momento com 38 elementos, sendo que 8 são do sexo feminino e 30 do sexo masculino.
    Paralelamente à atividade da Banda Filarmónica, foi criada uma Escola de Música de ensino gratuito, que não só dá a conhecer a divina arte dos sons, a música, a quem o desejar, como também é a fonte de renovação e complemento dos diversos naipes de que a banda é composta.
    Em 1995, a banda foi inscrita como sócia da Federação Portuguesa das Coletividades de Cultura e Recreio e em 1999 é criada a Federação de Bandas Filarmónicas do distrito de Évora, da qual é sócia fundador, fazendo parte do elenco diretivo da mesma, como Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral. Desde 1987 até junho de 2003 esta banda foi dirigida pelo maestro Mário Ceia Alexandre.
    Assim, a Banda Filarmónica do Grupo União e Recreio Azarujense tem participado e dado cumprimento a todas a solicitações que lhe têm sido formuladas, atuando normalmente em arruadas, procissões, concertos, desfiles/encontros de bandas e corridas de toiros. Esta banda conta com atuações um pouco por todo o país e conta com uma atuação em Espanha (Isla Cristina, Huelva) no ano 2008.
    Desde junho de 2003 até à presente data a Banda Filarmónica do Grupo União e Recreio Azarujense é dirigida pelo maestro Aníbal Manuel Teixeira Simplício, Cabo da GNR do Regimento de Infantaria de Lisboa.
    Em 2009, Azaruja foi palco da constituição da mais recente Associação Regional de Bandas Filarmónicas (Além Tejo Música), onde o Grupo União e Recreio Azarujense ocupa o cargo de Vice-Presidente da Direção.
    No ano de 2012, dia 21 de janeiro a Banda Filarmónica participou numa das galas do programa da RTP "A Voz de Portugal".